top of page
Buscar

Em terra de Fulfillment, quem tem estoque é Rei!

O controle de estoque é um dos pontos fundamentais para uma empresa de varejo.

E a partir do estoque podemos tirar informações como fluxo de caixa, capital de giro entre outras questões que estão diretamente ligadas ao sucesso da empresa.


Mas nos dias atuais, a participação do estoque ficou ainda mais importante.


Isso porque ficou cada vez mais popular, e por que não necessário, o uso dos serviços de Fulfillment, especialmente aqueles oferecidos pelos marketplaces.


Um dos fatores que tornaram o uso do Fulfillment mais popular foi justamente o oferecimento desse serviço pelos Marketplaces, que tornou o processo mais fácil e mais acessível, mesmo aos pequenos lojistas.


Além da facilidade, trabalhar com Fulfillment nos Marketplaces resulta em mais destaque nos anúncios, por isso o serviço de Fulfillment é tão procurado pelos lojistas.


Para a visão do Marketplace, um anúncio que possui o seu estoque no Fulfillment é muito mais confiável do que o anúncio que entrega seus produtos a partir de um estoque próprio. Na visão do Marketplace, por já possuir o produto em seu poder, ou seja o produto já está fisicamente em seu e seu estoque através do serviço de Fulfillment, é mais estimulado a expor melhor e com mais destaque os anúncios desta formato.


Obviamente, percebendo isso, o vendedor que busca otimizar suas vendas precisa participar das vendas nos Marketplaces usando o serviço de Fulfillment.


Mas é aí que o vendedor, mesmo que pequeno, começa a lidar com problemas e desafios que, até pouco tempo, eram exclusivos de grandes corporações. E para lidar com isso, sem a estrutura e experiência dos grandes, é necessário muita dedicação e controle no gerenciamento do estoque.


Como citamos no início deste artigo, o controle de estoque é fundamental para a saúde da empresa e agora, além do estoque próprio, o vendedor também tem que gerenciar também com o estoque Fulfillment.


O que vamos falar no decorrer desse artigo é sobre pontos importantes no gerenciamento de estoque, agora não mais o estoque exclusivamente local, mas o gerenciamento do estoque Fulfillment.


Qual será então o fluxo que envolve desde o pedido de mercadoria ao fornecedor, passando pela sua entrega no estoque local e agora com o envio ao estoque do Fulfillment?

 

Entendendo o fluxo completo desde o fornecedor até o comprador, via estoque Fulfillment


Quando olhamos toda a cadeia de gerenciamento de estoque, temos basicamente dois estoques.

O primeiro, o Estoque Local, é aquele que compramos dos nossos fornecedores e reabastecemos, geralmente em local próprio, o estoque da empresa. Chamaremos esse estoque de Estoque Local.

O segundo, é o Estoque Terceirizado, que aqui é o serviço de Fulfillment oferecido pelos marketplaces. Chamaremos este de Estoque Fulfillment.


Alguns pontos muito importantes diferenciam, e bastante, esses dois estoques e é por esses pontos que agora vamos falar. O objetivo é que o vendedor consiga desenvolver um gerenciamento ideal e assim o melhor fluxo possível entre os estoques.


Lead time e cobertura de estoque


Lead time é também conhecido como o tempo de reposição de estoque. Para seu estoque local, é o tempo que seu fornecedor leva para entregar pedido está disponível no seu estoque contado a partir do dia em que você faz o pedido.


É claro que existem vários formatos de operação, mas o mais comum é que o tempo de reposição de estoque local seja maior do que para o estoque do Fulfillment.

Isso geralmente acontece porque a reposição de estoque local depende da disponibilidade do fornecedor, que muitas vezes pode não ter o produto disponível, ou mesmo o produto tem que ser preparado, muitas vezes até fabricado, e aí sim ele é enviado para o estoque local, então disponível à venda.


Já no estoque fulfillment, o tempo de reposição geralmente é muito mais breve. Isso porque geralmente o produto já está pronto e disponível em seu estoque local. Basta apenas organizá-lo de acordo com a quantidade do envio e colocá-los à disposição do Fulfillment.


Desta forma, a cobertura de estoque necessário para o estoque local é maior do que a cobertura de estoque do Fulfillment. Isso também combina com a própria regra aplicada pela maioria dos Marketplaces. Os marketplaces acabam cobrando taxas extras de armazenagem caso exista produtos há muito tempo armazenados no Fulfillment, ou mesmo produtos com cobertura muito grande de estoque. Isso acontece porque o espaço nesses estoques de Fulfillment são escassos e é interessante para esses marketplaces manter um alto giro de estoque dentro do Fulfillment.


Como é necessário um giro grande dentro do estoque do Fulfillment, o vendedor não pode deixar que o tempo alto de reposição de seu fornecedor comprometa o seu reabastecimento de estoque por lá. Dessa forma, o vendedor acaba reposições mais volumosas em seu estoque local, usando-o como um estoque regulador, mantendo-o com uma cobertura maior e, através de reposições menores e contínuas, o estoque do Fulfillment é mantido bem abastecido.




Podemos então dizer que o estoque local funciona como uma represa, onde se mantém um volume maior de cobertura de estoque e, aos poucos, através de reposições constantes, o estoque Fulfillment é reabastecido, mantendo níveis adequados de cobertura.

Obviamente dentro de margem saudáveis, seu estoque local consegue suportar uma cobertura maior de estoque do que o Fulfillment. Sabendo gerenciar bem esse ciclo, você consegue ter qualidade, tanto em giro de estoque, como também evitando rupturas.


Ruptura de estoque novo filme

Como o objetivo é manter sempre um maior giro possível de estoque dentro do Fulfillment, aumenta-se o risco de ter ruptura de estoque.

Não há bem um grande segredo para corrigir esse problema, pois a própria reposição de estoque, quando bem gerenciada, acaba com esse tipo de situação.

O que não podemos deixar acontecer é uma má gestão do fluxo completo e assim o produto sofrer ruptura por não ter unidades suficientes no estoque local. Teoricamente gerenciar o estoque local é mais difícil pois o tempo de reposição (Lead Time) geralmente é maior. Na prática, o que comumente podemos notar, são muitas empresas sofrendo e de ruptura de estoque no fulfillment pois não possuem um sistema de gestão eficiente que faça boas reposições tanto no estoque do Fulfillment como também no Estoque Local. O processo de reposição de estoque exige controle e, dependendo do volume, fica inviável fazer manualmente ou usando somente planilhas.


Curva ABC e Giro de Estoque

Como já dito anteriormente, o giro de estoque é um dos pontos fundamentais para buscar um estoque saudável. Quanto maior o giro de estoque, mais saudável ele é.

Com isso, nos colocamos em contato com o conceito de curva ABC. Neste conceito, os produtos da Curva A possuem maior giro do que os produtos da Curva C.

Sendo assim, quanto mais produtos pertencentes a Curva B e Curva C temos no estoque Fulfillment, maior o risco da cobertura de estoque ficar muito alta, por conta de produtos que não giram, e desta forma, é maior risco de sofrermos com taxas extras de armazenagem por exemplo.

Uma estratégia interessante para manter os níveis de venda e ao mesmo tempo manter os níveis de qualidade de estoque no Fulfillment, é trabalhar previamente com os produtos em Estoque Local, ou seja vendendo nos marketplaces mas entregando a partir do seu estoque local.

Com vendas a partir do Estoque Local, conseguimos estruturar a curva ABC do estoque, e assim dar prioridade aos envios dos produtos da Curva A, de repente até os melhores produtos da Curva B.

Como teoricamente os produtos da Curva A já representam aproximadamente 80% das vendas, você terá o Fulfillment bem abastecido de produtos que vendem, facilitando inclusive a gestão desse estoque. Pois como dito, é muito mais fácil gerenciar o estoque um produto da Curva A, do que gerenciar o estoque de um produto da Curva C.


Considerações finais

É interessante observar o fluxo que acontece desde do pedido de reposição ao seu fornecedor até a disponibilidade do produto para o seu cliente final no Fulfillment do marketplace.

Este fluxo passa por duas fases muito importantes, que são: Abastecimento do Estoque Local e Abastecimento do Estoque Fulfillment.

Cada um destes estoques possui uma estratégia de gestão distinta.


Seu Estoque Local, por ter geralmente o lead time maior, existe maior cobertura de estoque. Também aceita produtos com menor giro, o que é perfeito para testar e fomentar a inclusão de novos produtos em sua coleção.


Já o Estoque Fulfillment, por exigir um giro de estoque maior, se torna mais restritivo, sendo uma ótima estratégia manter produtos no apenas da curva a e os melhores da curva B, o produtos que possuem um giro mínimo de estoque que garantem a qualidade do seu estoque do Fulfillment.


Entendendo e gerenciando todo o fluxo de reposição de estoque, desde o fornecedor até a disponibilidade no Fulfillment, você é capaz de fornecer as melhores possibilidades para o sucesso da sua empresa, garantindo giro de estoque, menos necessidade de capital de giro, e combatendo um dos maiores vilões que é a Ruptura de Estoque.


Lembre-se que a gestão de estoque é um dos fatores fundamentais no sucesso da sua empresa e que o estoque é um dos maiores patrimônios de uma empresa de varejo.

Gerencie seu estoque de forma estratégica e com inteligência e tenha uma base pavimentada para o sucesso.


Um grande abraço e boas vendas.



Comments


bottom of page